No Dia Internacional da Luta Contra o Câncer na Infância, cuidados com os olhos

O câncer infantojuvenil, poderá afetar mais de 12 mil crianças e adolescentes no Brasil este ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Com o diagnóstico precoce, a chance de cura chega a 80%.

Para conscientizar as famílias sobre a doença, o Dia internacional de luta contra o câncer na infância é celebrado em 15 de fevereiro. Um dos objetivos da data é alertar pais e a comunidade médica para a importância de reconhecer os sintomas da neoplasia, já que muitas vezes podem ser confundidos com outros problemas frequentes nessa fase da vida.

Sintomas que vão e voltam nas crianças e adolescentes de até 19 anos são sinais de alerta para procurar um médico, tais como: emagrecimento repentino em situações de alimentação regular, febre baixa por mais de uma semana sem causa aparente, ínguas de crescimento progressivo, manchas roxas ou sangramento pelo corpo sem ter havido um machucado, aumento do volume de um ou dos dois olhos, criança sem vontade de brincar e com dores no corpo.

O câncer infantil geralmente afeta as células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação do corpo, podendo aparecer, também na visão. Entre os tipos mais comuns da doença, a leucemia linfoblástica aguda – neoplasia de glóbulos brancos – é o câncer infantil mais frequente. 

Na oftalmologia, o retinoblastoma é uma das manifestações que podem surgir. É o tipo mais comum de câncer que acomete os olhos na infância, originário de células da retina, a parte do olho responsável pela visão. Pode estar presente já ao nascimento ou aparecer até os cinco anos de idade, afetando um olho ou os dois e quando é bilateral é sempre hereditário. É bastante agressivo, pode provocar cegueira e até levar o paciente à morte. Quando diagnosticado precocemente, é altamente curável, inclusive com a preservação da visão e da vida da criança.

Crianças que estão em risco de desenvolver retinoblastoma devem receber aconselhamento e testes genéticos o mais rápido possível para determinar o risco da doença. Há um consenso entre oftalmologistas, patologistas e geneticistas com diretrizes da Academia Americana de Oftalmologia para detectar o tumor ocular o mais cedo possível, o que só acontece em metade dos casos.

O principal sintoma de retinoblastoma é a leucocoria, que é um reflexo branco na pupila, presente em 90% dos casos diagnosticados. Essa mancha indica que uma fonte luminosa está incidindo sobre a superfície do tumor e impede a passagem de luz, fazendo com que as vias óticas para o centro da visão no cérebro não se desenvolvam. Esse reflexo branco, muitas vezes, só é notado sob luz artificial, quando a pupila está dilatada, ou em fotos, quando o flash bate sobre os olhos. Nos olhos saudáveis, esse reflexo é sempre vermelho.

Com o diagnóstico precoce e o tratamento adequado, é possível vencer esta luta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *