A tecnologia e a fadiga ocular

A tecnologia trouxe novos hábitos, como passar horas em frente ao computador, jogando videogame, assistindo à TV ou usando tablet e smartphone, que trouxeram muitos benefícios, mas também riscos à saúde visual devido à exposição excessiva a estas tecnologias. Ficar em frente a estas telas representa um desconforto visual – a fadiga ocular -, que embora não seja classificada como patologia, é considerada um problema de saúde resultante da tecnologia e da vida moderna, atingindo cerca de 60% das pessoas com menos de 45 anos em todo o mundo, mesmo aqueles que usam óculos.

A fadiga tem explicação: quando os olhos se concentram num ponto por muito tempo, fazem ajustes imperceptíveis para obter e manter o foco, as microflutuações da acomodação visual, realizados por meio das contrações de um músculo dentro do olho. Como qualquer outro músculo do nosso corpo, ao realizar um esforço contínuo, ocorrem o estresse das funções oculares e o cansaço. Assim, o olho fica incapaz de promover o foco exato, ocasionando os sintomas de fadiga ocular.

Os principais sintomas são:

– dificuldade de focagem ou visão turva;

– alteração ou flutuação na percepção das cores e aumento da sensibilidade à luz;

– sensação de cansaço e dor ocular;

– olhos vermelhos e secos;

– músculos esqueléticos;

– dor de cabeça, dores do pescoço, ombros e costas;

– irritabilidade e tonturas.

Para melhorar a qualidade visual de quem não tem como fugir da exposição às telas, há soluções que amenizam o desconforto. Porém, é primordial que antes de buscar qualquer alternativa se faça uma consulta com um oftalmologista, para indicação do que é mais adequado a cada caso. “Se a pessoa trabalha usando o computador ou outros equipamentos tecnológicos, o ideal é fazer intervalos de rotina, antes mesmo de sentir o desconforto. É comum passar muito tempo em ambientes com ar condicionado, o que contribui para essa sensação. Por isso, deve-se respeitar os limites do corpo e dos olhos, em particular, fazendo pausas”, afirma o oftalmologista Hélder Medeiros, que atua no Instituto de Olhos Clóvis Paiva, lembrando que não se deve pingar colírio nos olhos para afastar a sensação da fadiga ocular sem a devida orientação médica.

Veja algumas dicas para evitar a fadiga ocular:

  • Piscar ajuda na manutenção da umidade dos olhos, favorecendo a boa visão e a defesa ocular;
  • Evite a exposição direta do ar de ventiladores ou aparelhos de ar condicionado no rosto;
  • Limpe sempre a tela do computador, pois a acumulação de poeiras deteriora a imagem e dificulta a visão;
  • Mantenha a tela (computador ou TV) numa distância de 50 a 70 cm aproximadamente dos olhos;
  • Utilize umidificadores de ar no ambiente ou coloque sobre a mesa um copo com água. Isso aumentará um pouco a umidade local;
  • Aplique compressa gelada com água filtrada ou mineral durante alguns minutos;
  • Faça exames oftalmológicos periodicamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *