top of page

Envelhecimento aumenta olho vermelho crônico

Do site Portal da Oftalmologia

Três em cada 10 brasileiros com mais de 60 anos têm olho vermelho crônico. Alteração cresce no frio. Medidas simples previnem desconforto. Olhos vermelhos, coceira, sensação de corpo estranho, fotofobia e visão borrada são alterações oculares intermitentes na população com mais de 60 anos.  Afetam 30% dos brasileiros nesta faixa etária e crescem no frio segundo o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto. A boa notícia é que medidas simples previnem o desconforto. Isso porque, geralmente são sintomas de conjuntivite, alergia ou síndrome do olho seco. “As três doenças podem ser evitadas com mudanças de hábitos” afirma o médico. Nas mulheres, destaca, a incidência do olho vermelho crônico é 50% maior. Ele diz que a queda na produção dos hormônios sexuais após a menopausa é o grande vilão. Isso porque, diminui a produção da lágrima que tem a função de proteger a superfície dos olhos. 

Para piorar, comenta, no frio é comum os ambientes permanecerem fechados o que facilita a proliferação de vírus. “A falta de lágrima somada ao ar contaminado expõe os olhos à conjuntivite viral”, explica. O mesmo acontece com o homem. A diferença é que neles a incidência é menor porque não sofrem as mesmas alterações hormonais que a mulher. Resultado – Mantêm uma boa produção da camada lipídica da lágrima que evita a maior evaporação da camada aquosa. Para combater a conjuntivite viral, a recomendação é aplicar compressas de água fria filtrada no primeiro sinal de desconforto ocular acompanhado de secreção viscosa, Não desaparecendo em dois dias deve passar por consulta com um oftalmologista. O especialista afirma que o maior consumo de medicamentos e a natural queda da imunidade na população com mais de 60 anos, também contribuem para o aumento do olho vermelho crônico. Isso porque, comenta, o efeito da lágrima artificial para tratar olho seco é anulado por alguns medicamentos. Este é o caso da reposição hormonal com pílula anticoncepcional, dos anti-histamínicos para combater alergias e do amiodarona para controlar arritmia cardíaca. Como prevenir Queiroz Neto destaca que o frio favorece o desenvolvimento da síndrome do olho seco, as alergias respiratórias e da pele. Para prevenir o olho seco, as principais recomendações do médico são:

· Dieta rica em vitaminas A e E encontradas em frutas, verduras e legumes

· Evitar carne bovina, carboidratos e gordura

· Suplementação de Ômega 3 encontrado em semente de linhaça e nozes

· Proteger os olhos do vento, poeira, fumaça e produtos em spray

· Piscar repetidamente em frente ao computador

· ·Colocar o monitor abaixo do nível dos olhos

· Eliminar o uso de aquecedor de ar sempre que possível

· Evitar o uso de travesseiros de pena e produtos em pó

· Manter os ambientes livres de poeira e com vasilha de água para hidratar o ar

· Beber água com freqüência para hidratar o corpo

As principais medidas para evitar a conjuntivite viral são:

· Lavar as mãos com frequência; · Não compartilhar toalhas, lenços ou maquiagem; · Trocar as fronhas dos travesseiros diariamente; · Evitar aglomerações em ambientes fechados; · Usar lenços descartáveis. As recomendações de Queiroz Neto para evitar crises alérgicas são: · Evitar plantas, flores e animais com pelo dentro de casa; · Manter os ambientes arejados e livres de pó; · Evitar travesseiros de pena e objetos de decoração que acumulam pó; · Substituir a vassoura por aspirador de pó e o espanador por panos úmidos; · Evitar esfregar ou coçar os olhos; · Forrar almofadas e colchões com capas impermeáveis; · Dar preferência a travesseiros de espuma maciça.

0 visualização0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
logo_whatsapp_icon_181639.png
bottom of page